Arquivo da categoria: cotidiano

como reconhecer uma comissária de bordo

Pra variar estou em Pequim. Acordei as três da tarde depois de quinze horas de sono pesado e ininterrupto. Tomei um banho rápido e desci para tomar um green tea latte no Starbucks (é apenas um matcha com leite vaporizado super hypado) e comprar uma coca zero para repor a que consumi do mini-bar do quarto.

Ao meu lado no balcão de espera da cafeteria “estadunidense” (adoro esse termo tão comunista, tão China, tão cadeirante Mao) estava uma mulher aparentemente ocidental (e aparentemente estadunidense), bonita e vestida como eu: sem combinar o sapato com a bolsa e todo o resto das roupas. Assumi em pensamento: deve ser comissária de bordo.

Explico, pois: O cabelo estava arrumado em um coque banana igual ao meu. Não é qualquer mulher que faz um coque assim tão perfeito em menos de um minuto – a cara de quem acabou de acordar no meio de uma tarde em um dia útil chinês me ajudaram a concluir isso.

Estava bem arrumada, acredito: uma calça jeans skinny, uma blusa de malha, uma jaquetinha. Sapatos confortáveis (o bom e velho flat, presente em 99% dos armários das comissárias) e uma bolsa grande de pano. Pediu um café decaf, afinal, como eu, precisaria dormir para operar um vôo longo mais tarde. O óculos grande dava o toque final.

Eu vestia com calça legging preta, vestido floral e cardigan. Um sapato preto flat, óculos grande estilo aviador, cabelo preso em coque e uma bolsa de pano amarelo que não combinava com peça alguma. Mas era o que tinha dentro da minha mala, com certeza algo que usei para complementar um look para dia quente em Seul.

O acaso contribuiu para que nos encontrássemos no elevador do hotel. Quase que lendo meus pensamentos ela finalmente perguntou em que linha aérea eu trabalhava.

E sim, ela era da Califórnia.

E não, nunca consigo combinar bolsas com roupas dentro de malas.

E o sem número de vezes que esqueci de colocar um sapato na mala e desfilei pela cidade com sapatinhos vermelhos que uso na cabine do avião?

(e dessa vez fiz uma lista de coisas que preciso colocar na mala antes de ir pra São Paulo. Pouso em Dubai, tiro o uniforme, coloco a roupa que está na mala, deixo o uniforme na lavanderia. Vou pra casa, tomo um banho rápido, enfio-me em roupas confortáveis sem deixar de parecer smart, fecho as malas e sigo correndo pro aeroporto. E 14 horas depois pouso em São Paulo!)

12 Comentários

Arquivado em cotidiano

feliz dia das mães!

Muita gente acha que eu tenho uma puta vida bacana (e é verdade, não tenho falsa modéstia em admitir): um bom emprego, viagens, uma situação financeira confortável, amigos queridos, um companheiro leal e os cachorros mais lindos do mundo. Se isso me transforma em patricinha fútil, problema é de quem me julga. A verdade é que só consegui alcançar minha felicidade plena porque meu porto-seguro é muito forte. Foram os ensinamentos, o carinho e as doses cavalares de bom-senso que minha mãe me deu que me fizeram assim. Sou bonita, alta, inteligente, tenho um senso de humor do cacete e tudo o que eu quis eu consegui. Mérito meu? Diria que 90% foi tudo o que a Dona Ana Maria carinhosamente investiu em mim ao longo desses 28 anos (e corpinho de 25).

Quantas vezes você já não ouviu sua mãe perguntar “nossa, essa fulana não tem mãe, não?” se referindo a uma amiga sua fora da casinha? E que depois de um tempo e um certo distanciamento você percebeu que ela estava certa?

E aqui estou: na minha casa em São Paulo, jogada no sofá com meus cachorros ao lado da minha mãe tomando chá com biscoitinhos tailandeses e assistindo Santox x Corinthians na final. Olho para tudo isso que me rodeia me sinto feliz, em paz. Ignoro todo o caos que me rodeia no barulho insuportável do jogo de futebol, os latidos do labrador obeso e os gritos da minha mãe para que o bichón frisé deixe o cão velhinho em paz. É nessa bagunça que fizemos a nossa paz.

Um feliz dia das mães para todas as madres do mundo. E um abraço bem forte em todas as filhas que, assim como eu, aprenderam a ser mulheres fortes.

10 Comentários

Arquivado em cotidiano

bom dia, estrelinhas do meu janeiro

[antes de tudo, perdoem-me a falta de acentos… estou usando o computador da flatmate porque esqueci o charger do meu Mac em Pequim. Como um charger novo custa um figado e tres metros quadrados de pele de libanesa cutis de pessego… To usando um PC e fazendo a gatinha hype que esqueceu como era ser pobre, hehehe]

BOM DIA, ESTRELINHAS! Nao precisam cortar os pulsos ou entrar em abstinencia: voltei! Realmente o comeco desse 2011 foi uma loucura, afinal, tive que me mudar para um novo apartamento e renovar o visto e todos os procedimentos e burocracias que envolvem esses processos. Agilizei mil coisinhas que empurrei com a barriga ao longo desses meses, mamae esteve aqui na ponte aerea Sampa-Dubai, jantei com amigos em Paris, fui pra esbornia com colegas em Pequim, fui para a esbornia II com um colega que virou amigo em Seul, enfim, aproveitei bem esse penultimo janeiro na Terra ja que dezembro de 2012 esta chegando e vamos morrer todos. 🙂

Agora ja tenho internet em casa. Mas estou sem laptop ja que meu Mac, o Marcolino, deu seu ultimo suspiro ontem de noite com uma ultima barrinha de energia. :/ Porque quando felicidade sorri pra pobre, sorri sem dentes. A outra novidade e que tenho Globo International. Mas olha… Fiquei bem decepcionada. Passar Telecurso e Pequenas Empresas de tarde e de foder. Minha flatmate esta craque na cotacao da soja de tanto que ja viu Globo Rural.

Agora vou terminar meu momento de preguicinha assistindo o Jo e comendo o resto da macarronada de ontem – que esta de comer ajoelhada, fiz um arrabiata com linguica toscana assim bem haram.

Falando em haram me despeco com uma bela cancao que ouvi ontem durante o jantar com amigos la no mOre do Dubai Mall. Nao sei se esta em swahili, em zulu, em ingles ou esperanto. So sei que vou comprar um Xbox Kinect e dancar pencas de zumba com a Amanda. 🙂

1 comentário

Arquivado em cotidiano, Dubai

Dubai 27 graus o cacete, tá quarentão.

A imagem mostra 27. Mas parece que tá 40! Insuportável. E minhas flatmates desligam o ar condicionado. Complexo de pobre. Vão gostar de calor e umidade chez la maison du caraiô. Minha mãe diz que pobre é que nem barata: adora muvuca, porcaria, calor e umidade. Tão vendo essa névoa maldita na minha wheaterpixie acima? Na verdade é uma baforada de umidade de cheiro embucetado que fode com a sensação térmica e, obviamente, com a lisura do meu picumã.

Tirei essa foto da minha sacada. Vejam que malditinha essa névoa acima do mar. Pior é que tenho que caminhar até esse supermercado agorinha mesmo porque não tem nada na minha geladeira. Lá vou eu… Em cinco minutos me transformarei em um monstro pegajogo e suado e cheio de cabelinhos armados. AAARGH!!!

Mas vou comprar bolinho de canela. \o/

1 comentário

Arquivado em cotidiano, Dubai

Gorjeta

Pedi uma porção individual light de uma Pizza Hut (colou?). Deu 32 dinheiros locais e pedi troco pra 100. Agora, leiam minha descrição na coluna da direita ->

Viram? “Rancorosa, vingativa e nunca dá gorjetas.”

Pois caí na graça de ser legal e dei 3 Dirhams pro mancebo. Não entendo porque fiz isso, já que a Pizza Hut fica aqui DO LADO. Mas o fiz porque quis ser legal e pá. E 10% de 32 dá isso.

Quando dei a gorjeta ele riu. GENTE, ELE RIU!!!

Filho duma rapariga leprosa e lazarenta! Pegue essas 3 moedas e enfie em seu respectivo esfíncter ao final do tubo digestivo. Vá evacuar no bosque e limpar suas partes privadas com U. dioica.

MÃE, DEPOIS A SENHORA NÃO ENTENDE PORQUE NÃO DOU GORJETA?????????

10 Comentários

Arquivado em cotidiano, Dubai

Comprei um iogurte orgânico europeu mega-blaster healthy e caro bacarai. Custou cerca de 12 reais a embalagem com 4 e, agora que abri, vejo que tem um de ameixa (superodeio ameixa) e outro de Rhubard (sabe Deus lá cazzo is that).

Concluo: não tenho saco para ser healthy. Ô troço ruim (estou comendo o de morango). Vou descer e comprar um danoninho.

Porra!

13 Comentários

Arquivado em cotidiano

Bom final de semana.

Porque hoje é sexta-feira nos Emirados. Na verdade é quinta, mas se considerarmos que a sexta-feira de verdadinha é como domingo por aqui, então, minha quinta-feira é vossa sexta. Entendeu?

No mais, seguirei para Bur Mumbai Dubai para extender a garantia do meu laptop. Porque essa porqueira de laptop precisa de garantia extra. Acer no more. Também não vou pra Apple (ah, não gosto, mil fanfreluches e limitações), acho a Sony overpriced. Quero um Toshiba titiquinho que caiba até na bolsa. 🙂 Mas como estou de reserva, deixo o luxo para mais tarde… Afinal, não sei quando vôo ou se vôo.

As vacas estão emagrecendo, habibi. A única coisa que engorda nessa crise é a minha pancinha de comida de avião. E meooo, 90 reais numa garrafa de Bayley’s foi de foder. Cazzo is happening? Pode parecer supérfluo, mas quem não tem Dormonid, dorme com Bayley’s e minha triste realidade é que durmo 16 horas ou 4 (se durmo).

E que eu consiga um JFK amanhã de manhã. Preciso de horas de vôo e de uma visitinha na BH Photo.

Bem, xuxuzes, vou pegar meu Ipod. jogar minha scarf e seguir para o submundo golimar de Dubai. See you later, alligator. Vou cantando “More than This”.

http://www.youtube.com/v/OfgU4iQr8PU&hl=en&fs=1

6 Comentários

Arquivado em cotidiano, Dubai