Arquivo da categoria: hotel

mimimi

Deveria estar operando o vôo de volta a Dubai. Mas estou aqui no hotel. Sem voz e com ouvidos bloqueados e cuspindo fogo (ou seria muco, mesmo?). Vou perder meu vôo pra São Paulo e, consequentemente, dois dias de férias. Com isso somo mais de 100 dólares que gastei em remédio na manhã anterior ao vôo que comprei para tentar melhorar e operar o vôo de volta.

Parece ser muito legal ficar mais uns dois dias em Nova York. Com saúde, talvez. Sem ela fico confinada a um quarto em um dos piores hotéis do mundo. Pra começar as camareiras mexicanas conversam enquanto trabalham. Se uma delas está no quarto 201 e a outra no 202, como você acha que se comunicam? Sim, berrando. Tive que botar meu portunhol em prática e implorar para que baixassem o volume. Afinal, hotel não é bailão  de reggaetón e estou aqui para descansar antes de trabalhar.

A segunda coisa que me irrita master blaster nesse pardieiro é que estamos na Sétima Avenida: muito barulho. Ontem mesmo teve uma bandinha de rua tocando gaitas de fole as nove da manhã. Gaita de fole e um bode urrando, pra mim, são a mesma coisa. Aquela nota constante e aquele som rasgado são agradáveis como gente que toca apito.

A televisão do meu quarto não liga. Mandaram gente pra consertar e nada foi feito. Não há quarto extra disponível. Tenho que me contentar com meu laptop e essa internet lenta. Aliás… Internet lenta. Num hotel cinco estrelas isso é inaceitável.

Mas nada supera a cultura da gorjeta. A regra diz que tenho que dar 15% para quem me entrega o room service se não houver taxa de serviço já adicionada na conta. A questão é: ela está lá. E o mexicano me olha dos pés a cabeça esperando um trocado a cada bandeja.

Não sou uma pessoa pão dura. O que pega é que discordo totalmente dessa prática quando o serviço não é espetacular. Se o salário do fulano é ruim, seria pior estar no México passando perrengue – ou não teria se mudado pros E. U. da A. Entregaria uns 3 dólares pra ele com o coração feliz se ele tivesse sido muito gentil ou cortês. Mas não foi, esperou as notas de 1 dólar como se isso fosse minha obrigação. É por isso que gosto da Ásia. Lá essa putaria não existe. E é lá onde sempre arredondo pra cima as corridas de taxi quando os motoristas são gentis. Outro dia paguei o dobro da corrida em Bangkok porque o taxista ajudou com minhas sacolas e ainda perguntou qual seria minha rota favorita sem dar rolês desnecessários pela cidade.

E pra coroar toda essa experiência divina: os vôos para São Paulo estão lotados a partir do dia 5. Muito provável que eu vá via Joanesburgo. Porque na minha última encarnação meu nome era Elizabeth Bathory, certeza.

4 Comentários

Arquivado em hotel

Hilton Melbourne


To quicando. Coisa que eu odeio e ser enganada. Pedi um room service aqui no Hilton de Melbourne e essa ai e a salada grega que me custou $17 + 4 dinheiros de taxa. Vejam bem. Sao DOIS TOMATES CEREJAS E MEIO. 😡

Ta certo, nao deveria esperar uma salada grega comme il faut aqui no HILTON down under.

Primeiro
Porque, de todas as cadeias hoteleiras onde me hospedo (custeada pela empresa, logico, jamais pagaria tanto dinheiro num 5 estrelas arroz-feijao se posso me hospedar num boutique mar-barato e gastar $ com tranqueira), o Hilton Melbourne e a que mais me frustra: os menus de room service sao bem half-mouth (meia boca, porra), internet abusivamente cara e lenta (viva a internet wireless “di gratis” da cadeia Radisson SAS), mini-bar pobre, nao tem cha verde na selecao de chas disponiveis no quarto, a variedade de canais de TV e pauperrima, o chuveiro molha o banheiro inteiro.

Segundo
O menu diz:
MIXED SALAD – Mixed lettuce, cherry tomatoes, cucumber, artichokes, radish with lemon vinaigrette.
GREEK SALAD – cucumber, tomato, olives, Feta Cheese, red onion.

Logo, a salada grega deveria ter TOMATES NORMAIS. Porra. Onde ja se viu salada grega com tomate cereja? Vao se foderem-se.

Isso aqui e hotel 5 estrelas ou cafeteria oportunista de navio de cruzeiro?

Enfim, impossivel argumentar com o australiano do room service. Ele nao conhece CONSOANTES, tenho pavor a esse sotaque e estava com fome. Devorei essa miseria em 3 garfadas depois de me matar de correr na esteira.

E nao, nao e normal. Porque pedi um curry vegetariano e a porcao era pequena: dois potinhos pequenos (um com arroz, outro com o curry) + poppadum, chutney de manga e raita. Pequena mas decente, matou a fome.

Agora, uma salada grega com 2 tomates cereja e meio? Oi, Paris, manda tua familia tomar no koo.

duvida? clica na foto.

22 Comentários

Arquivado em chocho, hotel, mágoa