Arquivo da categoria: meu cu

é feia pra caraaalho

Outro dia botei uma carinha triste no meu status no Facebook. Uma colega foi lá e deu um “like” e ficou toda felizinha com  minha miséria.

Bem, cara coleguinha, sinto te dizer mas…

19 Comentários

Arquivado em meu cu, video

samba na casa do gato, samba na casa do cachorro

Estava chegando da clínica feliz com mais uma dose de Typhim Vi em minha caderneta de vacinação (nada faz uma hipocô mais feliz do que uma gaveta cheia de remédios e uma caderneta cheiazinha) quando entro no meu prédio e páro para esperar o elevador. Estou ao lado de uma colega “aeromoça” quando um senhor de camisa azul e algumas listras se bota atrás de mim, me acotovela e entra correndo no elevador.

Fiquei tão pasma que não reagi na hora, só vi o queixo caído da menina ao meu lado. E a porta começa a fechar porque o filho da rapariga apertou aquele botãozinho maldito que fecha portas rapidamente.

3, 2, 1…

Olha… Quer enfiar o dedo no cu do diado? Enfia. Faz fisting se quiser. Mas não reclama do cheque. Quem morde o rabo da libanesa tem que se preparar pra diarréia dos infernos pós fio-terra no capiroto. Não se cutuca a libanesa com vara curta.

3, 2, 1…

Vi a frestinha da porta ainda aberta e, como valho menos do que o gato enterra, enfiei minha mão no meio e a porta se abriu. Porque mesmo que aquela merda de sensor enguiçasse e eu perdesse a minha mão, preferiria ficar cotoca do que levar pra minha casa tamanho desaforo.

Entrei muda, sorri para o velho, um caucasiano WASP da vida. Lógico, ele ficou vermelho. De raiva, que seja. Mas sorri. Ele desembarcou no primeiro andar, afinal, ele é o famoso engenheiro louco que fica todos os dias perto da porta reclamando com quem passa arrastando mala de rodinha. Uma pessoa alegre e de bem com a vida, como podemos ver. Não deixa nem os vizinhos ouvirem música, um cerumano ótimo, não?

Quando ele saiu eu só disse uma coisa:

– Hey!

Ele olhou pra mim.

– Se eu tivesse essa sua cara de bunda azeda eu também teria muito ódio da humanidade. Merry Christmas!

Cheguei em casa louca de ódio. Porque mais do que vizinho cuzão, odeio vizinho que leva hierarquia pra dentro do prédio. Porque esse fulano não destrata os managers ou os comandantes. Mas os co-pilotos, as comissárias, os porteiros, ah, sim, esses tomam hadouken dentro do prédio.

Pode anotar: hoje alguém vai ligar pro delivery da farmácia pra pedir pomadinha pra hemorróida inflamada. E não serei eu. Nossa, que ódio. Para minha peitica passar, entoo meu mantra favorito.

samba na casa do gato, samba na casa do cachorro…

2 Comentários

Arquivado em meu cu

pet peeves

 “Ka, nossa, que lindo o seu cabelo. Porque voce nao corta chanelzinho? Vai ficar liiiindo!”

Resposta: gata, aplique de cabelo e acessivel para todas. Seja de cabelo de mentirinha para as pobrinhas, seja de cabelo de verdade para as rykas. No Quenia, inclusive, onde a mulherada passa perrengue com o cabelo crespo, vende-se peruca no supermercado e todas as meninas de la que conheco sao super bem resolvidas com suas peruquinhas e apliques – alem de magras e lindas. Logo, va comprar o seu e deixa essa inveja do meu cabelon de lado. Beijos.

“Nossa, essa co-piloto e bem masculina… Sera que ela e sapatao?”

Resposta: gata, olha a dor de cotovelo. Ela e baixinha, tipo mignon, loira. Nao e porque nao usa esses tres quilos de maquiagem que a senhora usa que ela nao seja feminina. Alias, acho a coisa mais linda ver piloto de aviao mulher. Paro para olhar, sempre. Pago pau bacarai. E o eterno estigma de que mulher inteligente nao pode ser gostosa. So porque ela levanta um Boeing 777… Nao significa que seja menos bonita ou menos feminina que voce, minha colega, que so pensa na bolsa Dior e na maquiagem da MAC. Beijos.

“Quantos quilos voce engordou depois que comecou a voar?”

Resposta: obrigada por me chamar de gorda. Sei que a mulherada tem obsessao pela magreza. Infelizmente, para as magrelas e asiaticas sem-bunda sem-peito e sem-coxa que sonham em ser invejadas… Eu nao tenho essa obsessao. Depois que coloquei uma blusinha justa e o namorado do cabeleireiro exclamou “nossa, gata, que corpo bom que a senhora tem” acho que nao tenho mais duvida alguma que sou gostosa. Sim, confesso que botei uns quilinhos porque como muito e adoro. Mas criei o habito de ir a academia, logo, a culpa se foi e o meu manequim permanece o mesmo. Alias, como sou alta, tenho vantagem de engordar um pouco mais e nao aparentar. E se os baixinhos se sentem intimidados com meus 1,77m, sinto muito, mas nunca gostei de baixinho mesmo. Menos ainda de homem inseguro. Beijos.

 “Essa unha e sua?”

Resposta: nao, e da minha avo. Peguei emprestado mas ja devolvo, ta, dona Diva Giannini? Gente: eu NAO uso unha postica. O que eu uso e uma camada de gel que deixa a unha dura e ela cresce feliz e forte. Mas a unha e minha, nasceu na minha mao e, que eu saiba, dela ainda nao saiu. Beijos.

2 Comentários

Arquivado em meu cu

Vegetariana em Pequim

Acabo de pedir um room service aqui no hotel onde ficamos. Pedi dumplings e um udon com tiras de carne bovina grelhadas e cogumelos. Não sei aonde estão os cogumelos até agora e o macarrão está boiando no óleo, apimentadíssimo. A carne, horrível. Um sabor tão forte que chego a pensar que esse boi é totó ou bichano. Parei de comer. Segui para os dumplings, os tais guioza. O visual era horrível: um pastelzinho cozido no vapor bem rosadinho, com muita cara desses pratos de filme de terror gruesome com canibais que fazem steak tartare com carne humana, praticamente um efeito especial de “Emmanuelle e os Canibais”. Antes de pedir perguntei pra recepcionista se era feito com carne de porco. Aliás, perguntei três vezes: “is it made with pork?”, “no pork, right?”, “no pig?”. Adivinhem… Botei na boca e quase vomitei em cima do próprio prato, o que adiciona um teor ainda mais escatológico a essa situação. Porra, meu… Eu ODEIO carne de porco. Volta e meia como uma lingüiça (foda-se a reforma gramatical, só como lingüiça com trema) porque o sabor é bem diferente, mas em geral evito carne suína.

Tô deixando a bandeja para fora do quarto. Vou passar o resto da minha estadia com bolachinha e chá. Agora só como no avião, bendito seja o catering halal da empresa!

Porque quem me conhece sabe: só gosto de comida chinesa vegetariana ou feita fora da China. Pato laqueado e essas palhaçadas, pra mim, são gostosos como uma hemorróida bem inflamada.

1 comentário

Arquivado em China, meu cu, Pequim

"é que no Líbano não existe mulher bonita…"

Hoje passei um nervoso no Long’s Bar: conversava com um brasileiro que dizia detestar libanês. Atê aí não me surpreendi, afinal, muitos libaneses que vivem aqui em Dubai são realmente o cu da cobra. E não podemos ter altas expectativas com pessoas. É difícil sair do senso comum, enxergar além, vencer preconceitos, não generalizar. Logo, não esperava que conversaria com a pessoa mais douta do mundo ali, naquela mesa de bar. Mas quando o cara sabe que você tem ascendência libanesa e continua a disparar comentários como “cabelo de libanesa é tão ruim que é grosso como um canudinho” ou “quando a libanesa tira calça, é uma gelatina” ou “não tem mulher bonita no Líbano”… É porque: 1. O cara está mal intencionado; 2. O cara tem alguma deficiência; 3. As duas coisas.

Entendo da seguinte forma: como ele sabia que na minha mistura tinha italiano, achou me me isentaria da metralhada de ofensas. Não cogitou em momento algum que eu poderia ter tias 100% libanesas ou primas ou amigas, ou que minha mãe poderia ser libanesa libanesa. Bem, minhas amigas Shadya e Nadya são 100% libanesas (nascidas no Brasil, mas de origem 100% libanesa) e são lindas demais.

No Líbano não tem mulher bonita? Meu querido: visite o Líbano. Expanda seu networking: existem pessoas fantásticas da terrinha. Lindas não só fisicamente, mas com um “conjunto da obra” perfeito. Visite os clubes libaneses e sírios em São Paulo, procure enxergar além do esteriótipo, veja além do lugar comum. Líbano não é só quibe, dança do ventre e libanês pobre pagando de gatinho na balada.
Entendo que você tenha uma certa frustração com os libaneses em Dubai. Até aí eu também tenho minhas ressalvas. Mas abrir a boca pra dizer que no Líbano a qualidade da mulherada é baixa, bem, aí o bicho pega mais embaixo comigo.
Sei que não é fácil. Exige treino, viagens, mente aberta e uma boa dose de inteligência. It’s a kind of magic. Mesmo assim: fica a dica. É por isso que tenho meus leitores maravilhosos que não se surpreendem porque eu amo o Paquistão… E é por isso que amo meus leitores maravilhosos que sempre me ensinam algo.
Aliás, a mocinha da foto, Haifa Wehbe, como podemos ver, é horrorosa… Assim como eu sou, vejam a minha foto na coluna da esquerda. Não sou tão feia porque tenho outras misturas. E, poxa, tem monstro pior do que a Dina Jamal, a dançarina abaixo?… NOT!

http://www.youtube.com/v/9K3tOXG7Gos?fs=1&hl=pt_BR

7 Comentários

Arquivado em Líbano, meu cu

To bowa, to em Toronto.

Gracas a uma cagada dos golimar fui tirada de um voo para Brisbane. Mas como meus orixas sao phoda com PH acido, minha Yemanja do Lago Ontario me mandou um Toronto e to rica, aqui. CHUPA QUE E DE UVA, GOLIMARES DA EMPRESA!!

Logo, mais alguns dias sem post. Para se divertirem enquanto a tia esta trabalhando, visitem o blog do Fred – o melhor blog Dubai for Dummies ever.

Ha-ha-ha, e voces acreditaram no Amaury?

4 Comentários

Arquivado em meu cu

We are going to BRAZIIIILLLL!!!

Acho que teria que rolar uma vibe semelhante nos vôos Dubai-São Paulo non-stop daquela companhia aérea lá. Porque neguinho entra na aeronave reclamando que não gosta de trabalhar nesse vôo porque é longo e blablablá, mas ninguém troca GRU por necas.

Meio que senti vergonha alheia da Tyra, mas, oh, é a Tyra e ela pode.

14 Comentários

Arquivado em celebridadissss, chocho, meu cu